Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

na rua dos meus sentidos

na rua dos meus sentidos

29
Jul14

O improvável: a Segurança Social fazer-nos sorrir

naruadosmeussentidos

Quando abres a caixa do correio, não são as contas que te aterrorizam, o que te faz ficar em pânico são as cartas das finanças e da Segurança Social, não porque lhes devas nada, apenas e só porque para ti são como grandes incógnitas e de onde se pode esperar grandes surpresas quase nunca agradáveis. A água, a luz, o gás, tu podes sempre fazer as leituras e as contagens, há os contadores e os leitores. Quanto às finanças e à Segurança Social o que há é uma grande confusão em que raras são as vezes que te entendes, e por isso o teu terror quando te brindam com notícias. Hoje foi um desses dias, e mesmo que te estivessem a dar dinheiro, tu cautelosa, por causa disto e por experiência uma experiência muito própria franzes o sobrolho e desconfias que estes são bem meninos para se enganarem e daqui um ano estarem a pedir-te o dinheiro e com juros e ainda te levarem presa por um erro deles.

 

Mas não, parece que foi isto.

 

PS: Há um ano atrás vi-me na situação de desempregada, no mesmo dia decidi começar um projecto meu e pedir a totalidade do subsidio para iniciar o mesmo, o centro de emprego foi espectacular e tudo foi tratado com celeridade, o que emperrou foi a SS que mediante um pedido de uma declaração em como não tinha dívidas inventou-me uma de 1500 euros, no mesmo momento que ma inventou a funcionária que ma comunicou comunicou logo de seguida que a mesma era um erro deles, e que eu não devia nada, o que eu já sabia, mas e a declaração perguntava eu, que sem a mesma não poderia dar andamento ao processo, ah e tal demora 2 semanas. Eu não tinha 2 semanas para esperar, e propus.me a pagar a suposta dívida só para levar logo a declaração comigo, pensando eu que depois haveria direito a reembolso. A funcionária aconselhou-me de forma veemente a não o fazer porque segundo a mesma nunca voltaria a ver o dinheiro, eu a quem me custa ganhá-lo assenti mas perguntei mas têm a certeza que daqui a 2 semanas recebo a declaração correcta, resposta afirmativa. Mas pois que não, passadas 2 semanas recebo a dita declaração mas errada e com os mesmos 1500 euros em dívida. Nova ida à SS, reclamação, e um prazo de 1 mês para resposta à mesma. Resposta essa que até hoje estou à espera. Não fosse o centro de emprego me ter aceite o projecto com a explicação para o facto de não ter entregue a declaração, ainda hoje este mesmo projecto que há quase um ano hoje é o meu sustento e de mais três pessoas estaria em standby.

25
Jul14

Ainda te emocionas

naruadosmeussentidos
compadeces, baixas a guarda, ainda te surpreendes, quando já pouco te surpreende, com o amor de uma mãe por um filho.
Hoje compadeceste-te novamente, não pelo obrigado que te disseram, mas pelo amor incondicional, pelo sofrimento pelo outro, pela dádiva enorme, que é o ser mãe. Uma mãe que sofre quando o filho sofre, que não desiste dele, que luta por ele, com ele, até mais por ele do que ele próprio por ele, que acredita nele apesar de todos os ses, que percorre todo o caminho com ele até ao Dia D, e que chegado ao dia, ela respira, suspira, chora mas sabe que o caminho é longo, e que se quer longo, muito longo...perguntas-te se serias capaz de tanto, não sabes, duvidas até, não és mãe, e essa força só as mães têm...
23
Jul14

Dia 4. Andaste porque morreste. Andaste para não morrer

naruadosmeussentidos
Impedi por decreto a ida de mais um membro desta família ao médico sob pena de ser encontrado mais um estupor de um tumor.

PS: brinco com a situação. Primeiro um, depois o outro, um na cabeça, o outro no lábio. Eu pelo sim pelo não, não ponho os pés no médico nos próximos tempos. Há "guerras" que provavelmente terão menos feridos do que esta. E eu vou brincando com estas coisas sérias, sou parva, sempre fui, é uma forma de lidar com coisas sérias, sendo parva, fazendo piadas. Até que um dia a piada vai deixar de ter piada, ou porque o objecto da piada morreu ou porque se salvou. O fim da piada, essa, é a única certeza que tenho neste momento.
23
Jul14

Arranhada

naruadosmeussentidos
Arranhada, no corpo e na alma. Ontem dei comigo a tropeçar em rochas com gosto, era o preço de poder estar ali, naquele local maravilhoso. As rochas da vida, aquelas que não vemos, e aquelas que se colocam diante de nós de propósito, essas não tropeço com gosto apesar de lhes reconhecer o papel importante que tiveram e têm na minha vida.
22
Jul14

Dia 3. Foste Feliz. Ponto

naruadosmeussentidos
Com pouco. Com corrida. Com ser correcta. Com o escolher literalmente o pior caminho para a praia. Bootcamp em 30 min e uma praia de sonho como compensação. Praia. Água salgada. Vê-los sorrir. Pouco tempo de toalha. O mar como casa. Não precisas de mais nada. Mar e sol. Sol e Mar.
22
Jul14

Dia 2. A velha? A velha sou eu!

naruadosmeussentidos
7:00
Acordas, olhas para o rio, já se sente vida junto às margens. Tu dorida dos primeiros passos de corrida anterior contrarias o corpo. É uma luta diária entre o que tendes a ser e o que queres ser. Levantas-te e vais. Chamas-te velha, mil vezes velha. Vês velhos mais jovens do que tu a correr junto ao rio, ou simplesmente a andar, com ar saudável, mais saudável do que o teu. E com vida, mais vida do que a tua arriscas-te a dizer. E pensas e repensas e sentes-te mal pela tua falta de sabedoria. Saber viver, ultrapassar a preguiça, arriscar, puxar pelo corpo e pela mente, não nos acomodarmos.

Pág. 1/4

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D